Adicionar aos favoritos   Login   Pesquisar 

Notícias

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 

17/02/2009

Reservas da vacina contra a raiva atingem ponto de ruptura em Portugal.

(Fonte: RTP Notícias)

O Instituto Bacteriológico de Câmara Pestana, a única entidade portuguesa responsável pelo combate à raiva na componente humana, está privado de stocks da vacina contra a doença. A médica Anabela Rodrigues assinala a gravidade da situação numa altura em que o Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) está aconselhar a vacinação aos portugueses que tencionam viajar para Angola, onde um surto de raiva já fez pelo menos 60 mortos.

“A raiva mata. E neste momento há um grande fluxo de pessoas a viajar, não só para trabalhar, mas por vários motivos, para Angola. A procura é enorme e nós não temos, neste momento, doses disponíveis para essa procura”, adiantou à RTPN Anabela Rodrigues, do Instituto Bacteriológico de Câmara Pestana.

A médica afirma que o organismo é alheio aos motivos da ruptura de stock, responsabilizando a complexidade dos requisitos legais para a importação da vacina, produzida na Alemanha.

“Estou à espera, a todo o momento, que o assunto fique resolvido, porque há uma série de trâmites que têm de ser processados até à chegada da vacina a Portugal”, indicou a responsável.

De acordo com Anabela Rodrigues, “muitas pessoas que vão viajar para Angola” aguardam a vacinação. Mas há também quem já tenha sido mordido e precise de tratamento com urgência.

“A situação é urgente”, admitiu a médica contactada pela RTPN. Contudo, a lei, explicou Anabela Rodrigues, “obriga a uma série de requisitos que têm de ser cumpridos”.

“Não sei dizer quando é que haverá disponibilidade. O laboratório produtor, na Alemanha, está a todo o momento disponível para enviar [a vacina]. Só que o laboratório que importa, que pertence à indústria farmacêutica, necessita de ter toda a documentação oficial, de acordo com a lei, para poder importar a vacina”, acrescentou a especialista.

A médica aconselha as pessoas que pretendam deslocar-se nos próximos dias para território angolano a adiarem as viagens.

Doença infecciosa

A raiva é uma doença infecciosa de evolução aguda com elevada preponderância entre os animais, podendo ser transmitida ao homem por mordedura. A vacina anti-rábica é administrada em três doses antes da pré-exposição e em cinco após a mordedura.

O Instituto de Higiene e Medicina Tropical aconselha a vacina sobretudo às pessoas que trabalham em profissões com maior exposição, a exemplo dos veterinários ou operários da construção civil.

“Para as pessoas que trabalhem num banco ou em zonas mais fechadas esse risco não é tão grande”, explicou o responsável pela Unidade Clínica de Doenças Tropicais do IHMT, em declarações à agência Lusa.

Jorge Atouguia admitiu que os dados sobre o surto de raiva em território angolano são escassos. Desconhece-se se são os cães ou outros animais os principais agentes de transmissão.

A raiva já fez pelo menos seis dezenas de vítimas mortais em Angola, a maioria crianças em idade escolar. Mais de 800 animais foram retirados das ruas desde o início do ano.

Em Portugal a doença está erradicada.

Rss
Treino de Cães ao Domicílio «» Casa do alto