Adicionar aos favoritos   Login   Pesquisar 

Notícias

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 

16/03/2009

Cães da PSP descobrem armas de fogo.

(Fonte: Correio da Manhã)

O aço da arma liberta um odor que o cão detecta e assinala raspando com as patas, nas circunstâncias menos prováveis. ‘Zidane’, um Pastor Belga de três anos, descobriu, perante a reportagem do CM, um revólver escondido no forro da porta de um carro. Zidane é apenas um dos dez cães que a polícia recentemente treinou para a missão de detectar armas de fogo.

"A circulação de ar no compartimento onde está a arma é mínima e, mesmo assim, chega lá", explica o comissário José Pêgo, comandante do Grupo Operacional Cinotécnico (GOC) da Unidade Especial de Polícia (UEP). Foi o responsável pelo curso que em Outubro dotou a UEP de 10 cães capazes de ‘cheirar’ armas.

A base de recrutamento foi os cães do GOC com treino de detecção de droga. "Qualquer canídeo é capaz de cheirar uma arma recém--disparada, devido à pólvora. Desenvolver a capacidade de detectar armas não-usadas requer mais treino", explicou o comissário.

O "aperfeiçoamento", que veio a durar 45 dias, foi dado pelo comando da UEP. "Decidimos apostar no treino de uma equipa de cinco labradores e cinco pastores belgas, como reforço ao combate ao crime violento. Os animais serão um instrumento da PSP no combate à proliferação de armas", disse ao CM a comissária Paula Monteiro, oficial de operações da UEP.

‘Tasha’, labrador de três anos, e ‘Chavi’, pastor belga da mesma idade, atestam a versatilidade da equipa. A primeira revira uma sala, simulando uma busca, e encontra uma caçadeira sob a mesa. O segundo descobre uma pistola, que um ‘suspeito’ largou em fuga à PSP. Fizeram--no pelo prazer da brincadeira. "No fim brincam com a sua boneca. É o estímulo deles", diz José Pêgo.

SALVAMENTOS, ORDEM PÚBLICA, DROGA E BOMBAS

A valência de detecção de armas de fogo é a quinta especialidade do Grupo Operacional Cinotécnico (GOC) da Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP. A nova lei orgânica da polícia levou a que o GOC se autonominasse de Corpo de Intervenção e, numa perspectiva de intervenção mais ‘musculada’ da polícia, se tornasse numa subunidade da UEP. O Grupo Cinotécnico contava já com cães treinados em busca e salvamento, manutenção de ordem pública, e detecção de droga e explosivos.

Com a formação de Outubro de 2008, dez cães que já trabalhavam na busca de estupefacientes deram ao GOC a sua quinta especialidade, possibilitando assim uma busca mais eficaz por todos os tipos de armamento.

AJUDAR AS PATRULHAS E FAZER BUSCAS

A decisão foi ponderada e tomada em face da visível proliferação de armas no País. A PSP precisava de binómios cinotécnicos capazes de auxiliar as patrulhas e as brigadas de investigadores a detectar armamento em operações de fiscalização rodoviárias, ou em buscas domiciliárias. "O comando da Unidade Especial de Polícia (UEP) ratificou o início do curso, e foram precisos apenas 45 dias para que dez cães estivessem formados", disse ao CM a comissária Paula Monteiro, oficial de operações da UEP.

Rss
Treino de Cães ao Domicílio «» Casa do alto